Correia Dentada

CORREIA DENTADA

Os motores modernos são fabricados para oferecerem o máximo de potência aliado a baixo consumo de combustível e níveis de emissão de poluentes que atenda à legislação em vigor. Para que esse objetivo seja alcançado é necessário que todo o sistema esteja em perfeito funcionamento.

Uma questão fundamental para o funcionamento harmonioso do motor é o sincronismo do sistema. Esse sincronismo pode ser feito de diversas formas. As mais conhecidas são corrente tensora e correia dentada. Na primeira, geralmente não há a necessidade de revisão periódica, pois não há um tempo de vida útil pré-determinado, já na segunda é necessário que se faça a verificação periódica e a substituição na quilometragem especificada pelo fabricante.

A composição de uma correia dentada depende das exigências e características de cada motor. Os motores modernos trabalham com temperaturas elevadas podendo chegar a 120º Celsius. Os fabricantes de correias tiveram que alterar as características das mesmas para suportarem as novas exigências do sistema. O consumidor deve ficar atento na hora de adquirir a peça para substituição, pois existem correias com características diferentes para um mesmo tipo de motor.

A correia dentada é responsável pelo perfeito sincronismo da parte superior com a parte inferior do motor. Quando a correia dentada quebra ou pula alguns dentes esse sincronismo é perdido, ocasionando o impacto do pistão com as válvulas do cabeçote. As consequências podem ser diversas, geralmente ocorre o empenamento das válvulas e/ou a quebra do pistão, sendo necessário a desmontagem do motor para avaliar o tamanho do dano causado.

A troca da correia dentada deve ser feita por profissionais habilitados e com ferramental adequado. Além disso, deve obedecer a quilometragem do fabricante do veículo. Para veículos que rodam pouco a substituição deve acontecer antes da quilometragem especificada. Vale como dica a verificação a cada 15.000 km e a substituição à cada três anos se a quilometragem ainda não tiver sido alcançada. Os fabricantes também recomendam a substituição dos rolamentos e tensores do sistema.

O prejuízo no caso de quebra da correia dentada justifica a preocupação com a mesma, pois em alguns casos é necessário a retífica total do motor. Para situações mais otimistas, quando o dano é parcial, o custo do reparo gira em torno de no mínimo três vezes o valor da troca preventiva.

Portanto, a manutenção preventiva da correia dentada é benéfica em todos os sentidos, pois evita que o motor trabalhe de forma irregular e diminui o risco de uma eventual quebra, ocasionando um elevado custo na manutenção.